Páginas

Ouça a música dos estados do Norte do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins

4.10.11

Disco do Mês: Esse Ruy é Minha Rua



Nosso Disco do Mês de outubro é Esse Ruy é Minha Rua, que o cantor paraense Olivar Barreto dedicou à obra do poeta, político, professor, advogado, escritor e letrista Ruy Barata (1920-1990). O disco reúne 13 músicas de Ruy Barata compostas com Edyr Proença, Galdino Penna, Saint-Clair du Baixo, Paes Loureiro, Kzam Gama e De Campos Ribeiro, além de parcerias com seu filho Paulo André Barata, com quem Ruy começou a compor, em 1967. Nove das canções gravadas eram inéditas em gravação, contribuindo desta maneira para que o público tenha acesso a uma parcela até então desconhecida da obra de Ruy Barata.

Olivar Barreto atua na música desde 1987. Estudou canto popular na Pró-Arte, no Rio de Janeiro, onde morou entre 1988 e 1993. Apaixonado por música brasileira desde a infância, já fez shows em homenagem a Noel Rosa, Cartola e Paulo André Barata. Residiu em Paris por alguns anos, tendo participado de show comemorativo ao Ano do Brasil na França, em 2005. Lançou seu primeiro CD, Olivar Barreto, em 2002, tendo várias participações em discos de outros artistas paraenses, como Maria Lídia, Felipe Cordeiro, Delcley Machado e Almino Henrique. Tem várias premiações em festivais, com destaque aos primeiros lugares no Festival de Ourém (PA) em 1995 e 2010, e outro primeiro lugar no festival de Porto Nacional (TO) em 1996. Em julho de 2011, obteve o 3º lugar no Festival de Marabá.


O CD foi lançado com dois shows: em Santarém (PA), em 25 de junho de 2011 (cartaz acima), data em que Ruy Barata completaria 91 anos; e em Belém, quatro dias depois.

Olivar Barreto no show do Teatro Margarida Schivasappa
- Belém, 29.6.11 (foto: Bruno Pellerin)

O disco encontra-se à venda em Belém nas Lojas Ná Figueredo, Fox Vídeo, Banca do Alvino (Praça da República) e Casa do Artesanato (Pólo São José Liberto).

***

Olivar Barreto lança disco dedicado a Ruy Barata
(texto de Fabio Gomes, especial para o Diário do Pará, publicado em 25.6.11)

Olivar Barreto assim justifica, em texto incluído no encarte do disco, sua iniciativa de dedicar seu segundo CD inteiramente à obra do poeta e compositor Ruy Barata (1920-90): “Esse Ruy é Minha Rua é uma consequência natural da minha relação com a MPB”.

Nesta relação, os caminhos do cantor já haviam cruzado anteriormente com os da família Barata. Em 1996, Olivar cantou no show comemorativo aos 50 anos do filho de Ruy, Paulo André, que foi um dos compositores gravados no CD Olivar Barreto, lançado em 2002. Já em 2008, Olivar participou do show Dois Rios, em que Paulo André dividiu o palco com a cantora e compositora Maria Lídia.

As parcerias com Paulo André constituem a parcela mais conhecida da obra musical de Ruy Barata, principalmente em função de canções da dupla terem sido gravadas nos primeiros cinco discos de Fafá de Belém. Além de a cantora escolher “Banho de Cheiro” para título de seu LP de 1978 (que trazia ainda “Noturna” e “Baiúca’s Bar”), Fafá apresentou ao Brasil “Induaê-Tupã” e “Esse Rio é Minha Rua” (no LP Tamba-Tajá, de 1976), “Pauapixuna” e “Foi Assim” (em Água, 1977), “Pacará” (em Estrela Radiante, 1979) e “Ítaca” (em Crença, 1980).

De todas estas, afora a clara referência a “Esse Rio é Minha Rua” no título que escolheu para o CD, Olivar resgatou apenas “Pacará”. Isto porque sua intenção, desde que se decidiu a mergulhar na obra de Ruy Barata, foi ampliar o conhecimento do trabalho do homenageado junto ao público. “Sessenta por cento das músicas incluídas eram inéditas”, comemora o intérprete. Foram selecionadas três parcerias com Paulo André - a já citada “Pacará”, “Porto Caribe” (conhecida pelo verso “Eu sou de um país que se chama Pará”) e “Ana Ortiz y Castellar”, cujo arranjo foi escrito pelo próprio Paulo André, o único arranjador que não participou da gravação de “Esse Ruy é Minha Rua”.

Paulo André Barata, Olivar Barreto, Andréa Pinheiro e Galdino Penna
- bastidores do show de Belém, 29.6.11
(foto: Bruno Pellerin)

Nas doze faixas restantes, sempre há a presença como instrumentista de quem escreveu o arranjo – a lista inclui o violonista Floriano e os baixistas Minni Paulo Medeiros, Adelbert Carneiro e Kzam Gama. A este coube escrever os arranjos de três faixas, duas delas parcerias suas com Ruy: “Saudade da Maria” e “Deus” (nesta, Olivar teve a acompanhá-lo apenas o baixo de Ney Conceição, co-autor do arranjo com Kzam). A terceira é “Leva Esta Saudade”, que Ruy compôs com Edyr Proença.

O jornalista Edgar Augusto, filho de Edyr Proença, conta que o processo de criação desta canção foi atípico: Ruy chegou à casa do parceiro, vindo do Bar do Parque, tendo escrito num guardanapo o refrão (“Leva esta saudade do meu peito/ Que com a sede eu me entendo/ E com a fome eu me ajeito”). Edyr musicou o refrão e seguiu escrevendo a melodia e os versos das estrofes seguintes, com a aprovação de Ruy. No restante de sua obra, ele geralmente recebia a melodia dos parceiros para colocar os versos, ou então entregava uma letra pronta para ser musicada. A exceção ocorria apenas na parceria com Paulo André.

Foi ao lado do filho, então, um jovem músico em início de carreira, que Ruy começou a compor, em 1967. Diversas vezes Ruy e Paulo André escreviam juntos, e o processo podia iniciar com o filho apresentando um esboço de melodia para o pai letrar, ou Ruy mostrando a Paulo André alguns versos a serem musicados. Depois, ambos seguiam trabalhando conjuntamente até ficarem plenamente satisfeitos com o resultado final.


ESSE RUY É MINHA RUA
Olivar Barreto - 2011

1 - Ana Ortiz y Castellar (Paulo André Barata - Ruy Barata)

2 - Urgente (Galdino Penna - Ruy Barata)

3 - Saudade da Maria (Kzam Gama - Ruy Barata)

4 - Canção Antiga (De Campos Ribeiro - Ruy Barata)

5 - Pacará (Paulo André Barata - Ruy Barata)

6 - Vim (Edyr Proença - Ruy Barata)

7 - Deus (Kzam Gama - Ruy Barata)

8 - Sete Fitas (Galdino Penna - Ruy Barata - Paes Loureiro)

9 - Cabral 1500 (Saint-Clair Du Baixo - Ruy Barata)

10 - Anjo Torto (Edyr Proença - Ruy Barata)

11 - Leva Esta Saudade (Edyr Proença - Ruy Barata)

12 - O Vento e a Viagem (Galdino Penna - Ruy Barata)

13 - Porto Caribe (Paulo André Barata - Ruy Barata)

FICHA TÉCNICA

Pesquisa de Repertório/ Idealização do CD - Olivar Barreto
Estúdio de Gravação - APCE Music
Técnicos de Gravação - Assis Figueiredo/ Ulisses Moreira
Mixagem/ Masterização Digital - Assis Figueiredo
Supervisão Técnica - Fernando Rocha
Fotografia - Bruno Pellerin
Foto de Ruy Barata - Arquivo de Família
Tratamento da Foto de Ruy Barata - Andréa Pinheiro
Capa do CD - Junior Lopes
Consultoria de Textos - Clemente Schwartz / Dand M / João Renato Mendonça
Projeto Gráfico - Maria Lidia/ Olivar Barreto
Produção Executiva - Márcia Freitas
Produção/ Direção Musical - Maria Lidia

Ruy Barata

MÚSICOS

Paulo André Barata - arranjo 1
Tynnôko Costa - piano e cordas 1
Figueiredo Jr. - violão 1, 3, 10, 11
Adelbert Carneiro - baixo 1, 5, 8, 13 / baixo acústico 2, 9, 10, 12 / arranjo 5, 8, 10, 13
Edvaldo Cavalcante - bateria 1, 2, 3, 4, 5, 6, 11, 12, 13
Bruno Mendes - percussão 1, 2, 3, 10, 11, 12
Daniel Delatuche - flugelhorn 1, 2, 4, 6 / trompete 3, 4, 11
Arthur Alves - cello 1, 10
Floriano - arranjo e violão 2, 9, 12
Edgar Matos - piano 2, 3, 4, 6, 9, 12, 13 / teclados 5, 11
Esdras de Souza - flauta 2, 4, 5, 6, 8, 12, 13 /sax tenor 3, 4, 6, 11, 13 / sax soprano 12
Kzam Gama - arranjo 3, 7, 11 / baixo 3, 11
Maria Lidia - arranjo de metais 3, 11
Jó Ribeiro - trombone 3, 11, 13
Minni Paulo Medeiros - arranjo e baixo acústico 4, 6
Gileno Foinquinos - guitarra 5
Márcio Jardim - percussão 5
Aíla / Daniel Araújo / Maria Lidia / Olivar Barreto / Suelene - vocal 5, 8
Ney Conceição - arranjo e baixo 7
Diego Xavier - banjo e violão 8/ bandolim 8, 9
Trio Manari - percussão 8
Samuca - acordeom 9
Marcus Guedes - 1º violino 10
Kalie Akel - 2º violino 10
Rodrigo Santana - viola 10
Davi Amorim - guitarra 13
João Paulo Pires - percussão 13
Eser de Souza - trompete 13

Olivar Barreto gravando o CD no APCE Music (Belém)
(Foto: Bruno Pellerin)

Nenhum comentário:

Postar um comentário